Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Notícias / Oficinas Interlegis no Tocantins reúnem 13 Câmaras em Porto Nacional.

Oficinas Interlegis no Tocantins reúnem 13 Câmaras em Porto Nacional.

por bri publicado 11/05/2015 08h16, última modificação 11/05/2015 08h16
Primeira etapa se encerrou nesta quarta-feira; novo treinamento vai até dia 8.

As oficinas de treinamento realizadas pelo Programa Interlegis em Porto Nacional, Tocantins, estão sendo um grande sucesso de público. A primeira etapa, para capacitar os servidores na instalação e uso do Portal Modelo para internet, encerrou-se nesta quarta-feira, 6, com a participação de 36 pessoas, representando 13 Câmaras Municipais da região.

A presidenta da Câmara Municipal de Lizarda, vereadora Thaline de Oliveira, que participa do curso avalia que "ele atende às nossas necessidades, pois é muito importante que a população esteja informada e tenha acesso ao trabalho feito nas casas legislativas”. Segundo a vereadora, através do Portal, isso é possível, além de  facilitar o fluxo da informação, o trabalho dos servidores “e o melhor, sem nenhum custo para a criação do Portal".

 

 

O curso de Portal Modelo foi ministrado pelo servidor do Interlegis Adalberto Alves de Oliveira que ensina aos alunos como alimentar as informações necessárias para cumprimento das leis de transparência e de acesso à informação, além de questões práticas como criar links internos e externos, ou colocar vídeos e áudios das sessões. Segundo Adalberto, a ideia é que as Câmaras participantes saiam com seus já sites instalados.

 

Na segunda etapa, é oferecido o curso sobre o Sistema de Apoio ao Processo Legislativo (SAPL), ministrado pelo servidor Luís Fernando Pires Machado. Sabendo da carência em automatizar o processo legislativo, o Instituto Legislativo Brasileiro, por meio do Programa Interlegis, disponibiliza os produtos para atender às casas legislativas. O SAPL permite o acesso do cidadão às informações legislativas como normas jurídicas, sessões plenárias, comissões, resultados das votações, tramitação das matérias, além de dar transparência à produção legislativa de cada parlamentar. Segundo Luís Fernando, tem-se, desta maneira, transparência e redução de custos, entre outras vantagens.